Quando a bestialidade se cruza com a hipocrisia, o cinismo e a ganância!

Sabem os meus residuais e regulares leitores (importantíssimos!) que, embora sendo adepto do desporto, em geral, e em particular do futebol, entre outros, faço um esforço por não trazer tal desintelegente afeição (ninguém escolhe dele gostar e porquê gostar dele!) para este espaço de pretensa racionalidade.

Contudo, a estupefacção que caracterizou a minha abordagem a um assunto futebolístico da actualidade, obrigou-me a desvirtuar a minha própria politica editorial. E que assunto foi este?

Bem, antes de mais, mantendo o rufar dos tambores por mais um pouco, deixem-me dizer-vos:

a)       Ninguém me convence da necessidade das claques de futebol e para mim deviam, simplesmente, de acabar, em todos os clubes e em todos os desportos.
b)      Em Portugal (e não só), as claques são receptáculos de todo o tipo de frustrados energúmenos que, ainda por cima, são manipulados por correntes nazis e de extrema-direita e que por sua vez, paradoxo dos paradoxos, conseguem manipular jovens incautos que, na idade rebelde da adolescência, acham piada aos “ganda malucos” que são os “bros” mais velhos
c)       Em Portugal, estas claques são, sub-repticiamente (nalguns casos mais explicitamente), apoiadas por dirigentes sem escrúpulos (a maioria deviam de estar presos e os outros irradiados por cumplicidade moral) que utilizam o futebol para perpetuar e catapultar as suas ansiedades de poder e riqueza
d)      Em Portugal, estas claques fazem até algum trabalho sujo por encomenda dos próprios dirigentes. Basta ver que alguns andam de Porche e todos os dirigentes destacados são ex-presidiários, a grande maioria por tráfico de droga, actividade na qual a claque tem enorme importância (mercado, lavagem de dinheiro e mão de obra barata ou voluntária)
e)      Em Portugal, estas claques impedem cidadãos sérios e honestos de irem à bola com a sua família. Em democracia, o prejuízo de todos em detrimento de alguns é, simplesmente inaceitável.
f)         Isto é tudo demasiado grave, mas assume proporções gigantescas quando, os clubes estão reféns desta gentalha e não conseguem ou têm a coragem para, simplesmente e com respeito pelos seus adeptos e sócios, acabarem com isto. Depois querem os estádios cheios. Só se forem cheios de cadeiras. Só estarão cheios quando o ambiente que se respirar for saudável e não estiver poluído.

A juntar a isto tudo, partem tudo por onde passam, assaltam, agridem e ofendem de forma impune. Criam o caos à volta dos estádios por onde passam, e pelos prejuízos que causa à sociedade, é a sociedade que paga e não os seus dirigentes (já estamos habituados nos políticos). Faço este retrato para todos os clubes!

Ora, fiquei absolutamente estupefacto quando vi as imagens que o Sporting colocou no túnel do seu estádio. São imagens de incitamento ao ódio e à violência, com campanha subliminar neo-nazi, de conteúdo politico-social extremista reaccionário e totalmente negadoras dos valores do desporto (saúde, equilíbrio corpo/mente, tolerância, cultura, colectivo, honestidade, integridade e ética).

Quando olhamos para aqueles energúmenos, animalescos e bestiais nas fotos, sabem o que devíamos de pensar? É que se não acabamos com aquilo, até os nossos filhos lá podem ir parar. O problema é acabar com aquilo quando:

v     O futebol em Portugal é controlado pelas cliques mafiosas existentes e protegidas pelo poder politico e ainda mais protegidas pelo poder económico
v     Quando o futebol em Portugal é financiado, não pelas receitas desportivas do espectáculo, mas pela venda de passes de jogadores, em processos negociais escabrosos, realizados em paraísos fiscais que de paraíso só têm as praias, mas que fazem da nossa vida um inferno
v     Quando os presidentes dos três grandes são criminosos (arguidos várias vezes, condenados poucas, mas um até já detido esteve, o do SCP, por causa da Parkexpo, ou quando foi “corrido” por dias da cunha por roubar 5 milhões de euros ao seu clube através de uma compra e venda de terrenos quando era vice para o património) e os dos outros são paus mandados ao seu serviço
v     Quando o povo não pensa e quer é ganhar nem que seja com golos com a mão, penalties fora da área e árbitros comprados porque descarregam no futebol as suas frustrações (normalmente, apanham na mona toda a semana do patrão e depois descarregam no futebol e nos outros automobilistas)
v     Quando o que gostamos é de clubes (que ganhem) e não de desporto
v     Quando o director desportivo do clube que colocou as imagens em causa era um destacado elemento da claque que aparece

Claro que, uma pessoa normal vê isto e fica preocupada. É isto que é uma imagem positiva do desporto? É isto que é desportivismo? É isto que deve mobilizar os adeptos?

Para o sr. Director em causa, secundado pelo seu honesto e honrado presidente, tratam-se de imagens sem importância que servem para motivar os jogadores???!!!????

Agora digam-me…é de futebol que estamos a falar? Ou é de muito mais do que isso?

P.s. para além das que aqui estão, podem ver as imagens todas em: http://static.publico.pt/docs/desporto/noscorredoresdealvalade/ 
Reacções:

0 comentários: