QUANTO PERDEMOS TODOS


Um país, uma democracia, uma nação, que no momento mais importante da sua história colectiva, passa uma campanha eleitoral a discutir tudo, menos as soluções possíveis para os seus problemas, tal alienação só pode ter um resultado: A SUA PRÓPRIA DERROTA! A DERROTA DE TODOS NÓS!






As próximas eleições legislativas desenrolar-se-ão num contexto extremamente sensível para o nosso futuro colectivo. Somos um pequeno país com problemas estruturais enormes:


  • Envelhecimento acelerado da população
  • População activa envelhecida e pouco qualificada (em média)
  • Taxa de desemprego enorme e população inactiva cada vez maior
  •  Uma dívida pública impagável (mais de 130% do PIB)
  • Emigração em massa
  •  Economia estagnada (desde a entrada para o euro a economia cresce menos de 1% ao ano (em média))
  • Balança comercial desequilibrada 
  •  Industria, pescas e agricultura subaproveitadas
  •  Elevada concentração de riqueza nos mais ricos
  • Um dos países com pior índice de redistribuição de riqueza da EU
  • Baixos salários médios e baixas reformas médias
  • Um estado clientelista, com serviços públicos em processo de degradação
  • Um Estado depauperado pelas privatizações em massa, com dificuldades em promover investimento público e crescimento
  • Uma moeda demasiado forte para uma economia fraca, que reduz a nossa competitividade
  • Uma soberania amputada que limita a nossa democracia
  • 9% Da riqueza nacional concentrada em apenas 25 pessoas(!!!)
  • Quase 30% de pobres
  • Um dos países da EU com mais trabalho precário


E poderia continuar por aí fora, adicionando inúmeros problemas que afectam cada um de nós e de diversas formas.

Toda esta situação de agrava quando, perante tal estado de coisas, adicionamos UMA COMUNICAÇÃO (ANTI) SOCIAL DIRIGIDA PARA DISTRAIR, MANIPULAR E ALIENAR!

Num dos períodos mais importantes da nossa história colectiva e do nosso futuro enquanto povo e enquanto comunidade, o que é que se tem discutido nesta pré-campanha eleitoral?


  • O cancro da mulher do Passos Coelho
  •  Os cartazes do PS
  • Os debates com portas ou sem portas!
  •  As mentiras da coligação
  •  As guerras sobre números e estatísticas


NENHUM DOS PARTIDOS DO ARCO DA GOVERNAÇÃO PARECE INTERESSADO EM DISCUTIR O QUE REALMENTE INTERESSA: Que soluções temos para adoptar? Que caminhos podemos escolher? Que custos implicam essas escolhas?

Claro que no meio disto tudo, nem todos são iguais. Partidos há que têm a coragem, por exemplo, de questionar a nossa manutenção no Euro, o tratado orçamental, a situação da banca nacional e tantos outros problemas que tanto nos afectam e limitam. Contudo, QUEM QUER DISCUTIR PROJECTOS POLÍTICOS NÃO ENCONTRA ECO NA MÉDIA.

Quem ganha com tal situação? Os que já ganham!
Quem perderá com tal situação? TODOS NÓS!

No final deste processo de branqueamento e distracção da realidade, É POVO QUE PERDE! No  final, se não houver discussão, irá ganhar o partido da situação! Irá ganhar o “Arco da Governação”, ou antes, o “Arco da Corrupção”! Porque quem poderia mudar qualquer coisa nem espaço mediático consegue para passar as suas ideias!

SAI DE BAIXO DO ARCO! INFORMA-TE, CRITICA, QUESTIONA E DISCUTE! NÃO FIQUES ONDE ESTÁS! SAI DA ZONA DE CONFORTO! O conforto de quem manda é o teu desconforto futuro!

NUMA DEMOCRACIA HÁ SEMPRE ALTERNATIVA! NA VIDA HÁ SEMPRE ALTERNATIVA!
Reacções:

0 comentários: