Da hipocrisia do "Charlie" ao apoio ao fascismo!

Quer dizer, depois de meses a fio, a vermos notícias, inclusive na comunicação social feudal, sobre os ataques da Junta de Kiev a zonas residenciais de Donetsk, vitimando milhares de civis indefesos, e de a UE e EUA nada dizerem sobre isto, foi preciso acontecer um suposto ataque" das forças "separatistas" a Mariupol, para a UE querer, novamente, estender as sanções à Rússia, por esta apoiar um ataque que vitimou civis inocentes! E depois, estes mesmos "Charlies" vêm sancionar a Rússia porque apoia militarmente um povo que anseia por não ser governado por corruptos e neonazis. Quando estes mesmos "democratas e libertários da expressão" apoiam da mesma forma aqueles que pilham, violam, matam e ilegalizam partidos e jornais, em nome do "livre", "humanitário" e "democrático" ocidente.




É o cúmulo da hipocrisia para quem, ainda há suas semanas andava a dizer: "Jes suis Charlie"! Tratam-se dos mesmos que apoio um governo fantoche, comandado por um oligarca corrupto e  por um grupelho neonazi. Tratam-se dos mesmos que, perante as evidências do abate do avião malaio por um Mig-25 de Kiev, se calam perante a morte de mais de 300 inocentes. São os mesmos que apoiaram um golpe de estado ilegal, que motivou e mobilizou um grupo neonazi (o sector direita) a iniciar uma guerra que tem descambado em dezenas de valas comuns descobertas no leste da Ucrânia. São os mesmos que mandam para lá armamento e mercenários, compondo um batalhão internacional que comete todas as atrocidades imagináveis em tempo de guerra.

E depois, estes mesmos "Charlies" vêm sancionar a Rússia porque apoia militarmente um povo que anseia por não ser governado por corruptos e neonazis. Quando estes mesmos "democratas e libertários da expressão" apoiam da mesma forma aqueles que pilham, violam, matam e ilegalizam partidos e jornais, em nome do "livre", "humanitário" e "democrático" ocidente.

Não tinha já bastado o massacre de Odessa? Na casa sindical? Não tinha bastado o avião Malaio? Agora foi Mariupol e mais uma vez, as provas apontam para que, repetidamente, tenham sido os neonazis de Kiev a perpetrar um ataque visando incriminar as forças da Novorussia.

Esta não é, apenas, uma guera pelo território. É acima de tudo, uma guerra pela verdade! E a verdade tarda mas não falha! O mundo, mais cedo do que tarde verá quem são os verdadeiros malfeitores, quem são aqueles que perante a capa hipócrita da liberdade tiranizam e destroem e vida de milhões de seres humanos. Não há idade média que não tenha fim!
Reacções:

0 comentários: