Do "silêncio dos Imbecis" à "Retirada Estratégica" dos Partidos do Arco da Corrupção!

Este nosso país parece um filme! Ontem foi aprovada uma proposta de reposição das subvenções vitalícias a políticos. E quem a aprovou? Os partidos do Arco do regime (PS e PSD a favor e CDS absteve-se num  "quem cala consente"). E quem votou contra? CDU e BE! Os únicos grupos do parlamento que podem orgulhar-se de não andarem constantemente metidos nos "engulhos" da corrupção! Mas tem piada! Então aqueles que andam sempre a atirar-se aos políticos, que  dizem que "são todos iguais", "são todos corruptos", "comem todos do mesmo tacho", agora calaram-se? Porque é que não vieram dizer, a alto e bom som, que, afinal, não são todos iguais? Nem que fosse nisto? Mas não... Nada disseram! E porquê? Porque não lhes interessa falar desses partidos! Na prática,  os actores do "silêncio dos imbecis",  quando se calammais não fazem do que contribuir para a confusão que dizem combater! Há partidos diferentes sim! E eles sabm quais são, só não querem dizê-lo! É este o "silêncio dos imbecis"!


Depois de todo este volta e não volta, os partidos do arco da corrupção, ao que se esperava, deram o dito pelo não dito e, há duas ou três horas, retiraram a proposta. Afinal, não podiam deixar que ficasse tão às claras, a diferença entre uns e outros, logo, numa marcha atrás estratégica, voltaram ao ponto de partida!

Toda esta situação mostra, no fundo, que a diferença existe. Que existem ainda partidos que fazem da ética uma das bases principais da sua acção política. Ainda há partidos que têm sentido de justiça e que colocam os interesses do povo à frente dos seus... Afinal, as subvenções também beneficiam os seus políticos...

Mas a "retirada estratégica" mais não é do que isso mesmo. Os partidos do regime, retiraram a proposta aquando da "avocação" pedida pelo BE, mas não desistiram dela. Mais tarde tentarão passá-la, sem dúvida! Mas, a provar que a diferença existe mesmo, o PCP propôs o fim definitivo das subvenções. Então, meus caros, se a retirada não fosse estratégica e eu estivesse errado, os partidos do regime teriam de aprovar essa proposta. Será que o fizeram? Não, não o fizeram!

Maquiavel dizia que o déspota para segurar o poder eternamente, só tinha de fazer uma coisa: desacreditar os políticos e a política. No fundo, se todos parecerem iguais e o povo achar que não tem escolha, afasta-se, culpa os políticos e quem, realmente, manda, continuará a mandar, sob o lema da "falta de alternativa"!

Nestes dias, os déspotas do regime, devem ter-se fartado de fazer telefonemas aos seus dignitários do arco da corrupção, a pedir uma retirada da proposta. Afinal, não poderiam deixar que uma simples proposta destas permitisse a clarificação das diferenças!

Será que o conseguiram? Espero que não e espero que aqueles que fazem, mesmo sem querer, esse papel de descredibilização da política e dos políticos, abram os olhos e admitam que a diferença existe sempre! Não é por alguém nos dizer que ela não existe que ela acaba! Existem diferenças, existem alternativas.

Só temos de as afirmar!
Reacções:

0 comentários: