O Polvo, a cabeça e o tentáculo! De Sócrates a Salgado e os que não pregam olho!

Soube-se ontem que 200 inspectores da PJ foram a 41 locais de Salgado (ou com ligação) para recolha de provas. Engraçado, de facto! Ao tentáculo do polvo (Sócrates) colocam-no em "prisão preventiva" (local em que deveria estar há muito tempo nem que seja pelo mal que fez ao país - o maior dos seus crimes); à cabeça do polvo (verdadeiro corruptor, cabecilha da máquina) dão-lhe 5 meses (!!!!!) para limpar o cesto das provas! Não podemos deixar de nos questionar o porquê de tal disparidade de critério... Mas a resposta talvez estará no facto de Salgado "mexer" com muito, muito mais! É que ao mexer com tantos, Ricardo Salgado encontrou aí a sua verdadeira protecção! Foi o que faltou a Sócrates, Duarte Lima e outros... Eram apenas a ponta do fio, não eram o novelo, ou o tecelão. Mesmo assim, digo eu, que haverá aí muito boa, iluminada e envernizada gente que encontra motivos para não pregar olho! Ora se há!




Terá Sócrates razão para se sentir injustiçado? Terá Sócrates razão para se sentir discriminado?

Bem... Ponto prévio, não me tomem por defensor do ex- Primeiro Ministro... Não é essa a minha praia, como dizem os nossos irmãos Brasileiros. Contudo, não deixo de me questionar sobre algumas das veriáveis deste caso.

Ao que se sabe, a razão principal para a prisão preventiva de Sócrates, terá estado no "perigo de destruição de prova". Nada mais óbvio, justo e aceitável. Se existe essa possibilidade, a justiça e todos nós ganhamos com isso... Desde que a prova exista.

Agora, não deixo de me questionar porque não terá sido aplicado o mesmo entendimento - ao que sei, era o mesmo juiz - ao banqueiro Ricardo Salgado. Então com este já não havia perigo de destruição de prova? Estranho... Muito estranho!

Aliás, como Ricardo Salgado o tratamento foi transversalmente diferente. Em primeiro lugar, há a registar todo o tratamento do Banco de Portugal e do seu governador. Sabia, mas não podia... Podia, mas não lhe obedeciam... Agia, mas nada acontecia! A verdade é que, quando, finalmente, lhe foi possível (deixado, permitido...) retirar a idoneidade a tão respeitável e sapiente figurão, ainda assim, o impoluto governador - qual ex-funcionário do BES - permitiu mais um mês de actividade ao ex-chefe. A lealdade e o reconhecimento assentam bem a qualquer pessoa e, afinal, Salgado tinha de preparar a sucessão... Nessa altura, nem por um só momento, terá ocorrido ao excelentíssimo governador que a moratória atribuída, possibilitaria a "limpeza" do arquivo. Afinal, é tudo gente séria, acima de qualquer suspeita!

Mas tal flexibilidade no tratamento de tão grandiosa  figura, não se ficou por aqui; com os bancos é preciso ter muito cuidado!

Já tinha ouvido dizer à bastonária da ordem dos advogados que, o facto de Sócrates estar "dentro", ao contrário do que o (des)governo quer passar, não significa que a justiça esteja a funcionar bem. E a justiça bem sabe... E os juízes também!

A verdade é que Salgado, tal como Sócrates foi conduzido ao TIC por uma trupe de investigadores da PJ. É verdade que esteve horas e dias em interrogatório e que toda a gente o soube. Mas... e depois? Bem, depois pagou uma fiança que, para quem se "esquece" de colocar 8,5 milhões de Euros no IRS, não passou de um acto simbólico; seguiu para casa, só e solitário, como sempre pretendeu; deram-lhe 5 meses para arrumar a tralha, antes de se iniciarem as investigações. Foi isto que aconteceu.

Soube-se ontem que 200 inspectores da PJ foram a 41 locais de Salgado (ou com ligação) para recolha de provas. Engraçado, de facto! Ao tentáculo do polvo (Sócrates) colocam-no em "prisão preventiva" (local em que deveria estar há muito tempo nem que seja pelo mal que fez ao país - o maior dos seus crimes); à cabeça do polvo (verdadeiro corruptor, cabecilha da máquina) dão-lhe 5 meses (!!!!!) para limpar o cesto das provas! Não podemos deixar de nos questionar o porquê de tal disparidade de critério... Mas a resposta talvez estará no facto de Salgado "mexer" com muito, muito mais! É que ao mexer com tantos, do governo, empresas, ex-governantes e toda uma "pandilha" de corruptos, traficantes de medidas políticas e vendedores de ilusões, Ricardo Salgado encontrou aí a sua verdadeira protecção! Foi o que faltou a Sócrates, Duarte Lima e outros... Eram apenas a ponta do fio, não era o novelo.Mesmo assim, digo eu que haverá aí muito boa, iluminada e envernizada gente que encontra motivos para não pregar olho! Ora se há!

E esta é a justiça com que vivemos, a justiça que fica sempre aquém da "balança". A justiça que não é cega, mas que só vê com um olho... Uma justiça que aplica a lei com instrumentos e forças diferentes - forte com os fracos, fraca com os fortes. Uma justiça que nunca se completa, que deixa sempre dúvidas. Uma justiça que não o é! Uma justiça que não se faz!

Sócrates? está onde tem de estar e onde deveriam estar todos os que têm destruído o país com a sua incompetência, displicência, cegueira, arrogância, corruptibilidade, traficância, chafurdice, javardice e ganância. Podem ter ganho milhões, directa ou indirectamente... Em resultado de trafico, corrupção ou covardia, mas o seu grande crime foi o de hipotecarem o futuro deste país.

P.S. Ouvir o Jorge Coelho falar do PS e de Sócrates, dando a receita para o futuro... Deve ser anedota, não?

Reacções:

0 comentários: