O cúmulo da vulnerabilidade. O PS é atacado e não se pode defender!

O maior drama do PS, no meio disto tudo, é o de  ser colado, pela direita, à corrupção e, não poder, nem conseguir, demarcar-se de tal colagem. Porquê? Porque não pode contra-atacar. Porque está efectivamente "agarrado". O normal seria que, António Costa, surgisse com um: "agora é que vai ser"; "o PS vai meter a boca no trombone e colocar tudo a nu"; "o PS vai dar um contributo inestimável no combate à corrupção"; etc... Mas não o fará! Não o fará, porque entre algumas das suas figuras tem, também, alguns dos principais corruptos. Muitos deles suspeitos, outros reconhecidamente. É sempre muito mau quando um partido é atacado por outro que comete o mesmo pecado (PPD/CDS), mas não pode atacar, porque o ataque sairia, inevitavelmente contra si próprio. Ou seja, destruir o PPD/CDS por causa da corrupção, era destruir-se a si mesmo. Esse é o drama do PS. Esse é o drama de Costa. Poderá custar-lhe as eleições, porque a maioria absoluta, essa, já lá vai!



Há duas semanas eram os Visa Gold... As mais altas esferas do estado estavam em causa. No governo, Macedo saiu e Portas apareceu cheio de olheiras e a cheirar mal, tal a preocupação. Todo o governo parecia abanar - o que, quando não se tem alicerces é algo a evitar. Enfim, todo o país acordava para o terrível pesadelo. Depois de um sonho ilusório de "conformismo" e "brandos costumes", acordámos para o pesadelo da realidade - a podridão estava, afinal, bem à vista!
Lobo Xavier, esse cérebro central do governo, apareceu a dizer que o seu amigo do Instituto de Registos e Notariado era alguém em que tinha a "máxima confiança". A mim ensinaram-me sempre a não confiar em alguém que se faz acompanhar de 8 (!!!) telemóveis. Custa-me a acreditar que Lobo Xavier e seus comparsas não se tenham apercebido do "enchumaço" nos bolsos de tal personalidade! 

Mas eis que, no auge da insónia de Portas, Coelho e companhia, quando não aguentavam mais privação de sono, surge a salvação suprema. Sócrates é detido e fica em prisão preventiva! O país entrou numa loucura ainda maior e o governo apagou-se do mapa. O que, para um governo tão mau e de gente tão má, é sempre uma coisa boa. Aprovaram o OE2015 sem problemas - tirando a CGTP-IN e os partidos do costume, mais ninguém criou problemas -, e puderam arrumar a questão dos vistos gold.

Entretanto, o governo e a direita atacou com uma estratégia bem pensada... Colar o PS ao Sócrates e à corrupção. Bem, tem sido um ver se te avias. Do Eixo do Mal, à Quadratura, tem sido um verdadeiro circo. Aliás, é deveras interessante ver Jorge Coelho falar em combater a corrupção na Quadratura do Círculo. Deve ser uma anedota de mau gosto, ainda mais quando se junta a Lobo Xavier, um dos grandes traficantes de influências do governo. Mas, enfim, idiossincrasias de uma "mediocracia" dominada pela "propaganda media", como dizem em inglês.

Aliás, esta tendência de colagem foi bem visível no ultimo programa do "economista de mercearia", José Gomes Ferreira. Fez um programa só para reflectir em torno da corrupção durante os 6 anos do governo de Sócrates! Como se o depois não existisse. Mais, permitiu, ainda, a alguns dos interlocutores passarem a ideia de que agora, com este governo, já não é bem assim. Nada inocente... A direita ataca com o que tem e até Passos aparece a dizer "os políticos não são todos iguais". Quanta razão tem ele, desta vez!

A mesma direita que tem Dias Loureiro, Cavaco, Rendeiro, Menezes, Portas, Nobre Guedes,  Pires de Lima, Isaltino, Valentim... É esta a direita que, inteligentemente, ataca o PS porque sabe que não vais er atacada.

O maior drama do PS, no meio disto tudo, é o de ser colado, pela direita, à corrupção e não poder, nem conseguir, demarcar-se de tal colagem. Porquê? Porque não pode contra-atacar. Porque está efectivamente "agarrado". O normal seria que, António Costa, surgisse com um: "agora é que vai ser"; "o PS vai meter a boca no trombone e colocar tudo a nu"; "o PS vai dar um contributo inestimável no combate à corrupção"; etc... Mas não o fará! Não o fará, porque entre algumas das suas figuras tem, também, alguns dos principais corruptos. Muitos deles suspeitos, outros reconhecidamente. É sempre muito mau quando um partido é atacado por outro que comete o mesmo pecado (PPD/CDS), mas não pode atacar, porque o ataque sairia, inevitavelmente contra si próprio. Ou seja, destruir o PPD/CDS por causa da corrupção, era destruir-se a si mesmo. Esse é o drama do PS. Esse é o drama de Costa. Poderá custar-lhe as eleições, porque a maioria absoluta, essa, já lá vai! 

Eis porque é que o PS nunca se deveria ter vendido à direita. Eis porque é que o PS deveria ter-se mantido fiel aos princípios que diz propagar. Quando se colocam os princípios na gaveta (como o socialismo), coloca-se lá tudo! E isso, um dia, paga-se caro!
Reacções:

0 comentários: